INICIANDO

Primeiros contatos com o termo "ética". Clique em "play" para ver a animação ao lado.

O QUE É ÉTICA?

Definindo...

Ética é um ramo da Filosofia que estuda os valores morais e princípios legais do comportamento humano perante a sociedade. São regras e normas impostas pela sociedade ou por um determinado grupo de pessoas.

O Prof. Mário Cortella, em entrevista ao comunicador Jô Soares, responde (vídeo ao lado).

A ORIGEM DA ÉTICA



Das observações de Sócrates...

A ideia de ética surgiu na antiga Grécia, por volta de 500 a 300 a.C., através das observações do filósofo Sócrates e dos seus discípulos.
A origem da palavra ética vem do grego “ethos”, que quer dizer o modo de ser, o caráter. Os romanos traduziram o “ethos” grego, para o latim “mos” (ou no plural “mores”), que quer dizer costume, de onde vem a palavra moral.
Tanto “ethos” (caráter) como “mos” (costume) indicam um tipo de comportamento propriamente humano que não é natural, o homem não nasce com ele como se fosse um instinto, mas que é construído histórica e socialmente a partir das relações coletivas dos seres humanos nas sociedades onde nascem e vivem.

MORAL E ÉTICA

No nosso mundo ocidental, hoje, moral e ética costumam ser empregados como sinônimos. Por exemplo, fala-se em códigos de ética, como códigos normativos de cada profissão, ou em comitê de ética na pesquisa, como as leis que os pesquisadores devem seguir. Porém, um domínio é o domínio da norma, da lei, do dever. Outro domínio é o do sentido da vida, da felicidade, da vida boa. A questão da felicidade, do sentido da vida, não tem sido assimilada. Quase sempre quando se fala em norma, não se fala do sentido da vida boa, e quando se fala disso não se fala na norma, existe uma separação. Do ponto de vista psicológico, a questão da norma, como devo agir, e a questão da felicidade, como quero viver, estão relacionadas. (Yves de La Taille)

FONTE: http://www.direcionaleducador.com.br/artigos/em-busca-dos-valores-morais-e-eticos

No cotidiano não fazemos distinção entre ética e moral, usamos as duas palavras como sinônimas. Mas os estudiosos fazem distinção entre as duas palavras. A moral é definida como o conjunto de normas, princípios, preceitos, costumes, valores que norteiam o comportamento do indivíduo no seu grupo social. A moral é normativa. Enquanto a ética é definida como a teoria, o conhecimento ou a ciência do comportamento moral, que busca explicar, compreender, justificar e criticar a moral ou as morais de uma sociedade.

EDUCAÇÃO E ÉTICA

A importância da escola

A escola tem grande importância no incentivo à autonomia do aluno para construir seus valores e vivenciar situações que promovam a vivência da ética. As relações sociais estabelecidas com os colegas e com os professores servem como modelo para essa aprendizagem.

A educação aponta para o que é agir corretamente e o professor precisa permitir aos alunos a prática do respeito, da moral, da amizade, da tolerância, da compreensão e da paz.

MÍDIA E ÉTICA

A mensagem da mídia

A mídia é uma poderosa ferramenta formuladora e criadora de opiniões, saberes, normas e valores, tendo grande impacto sobre a juventude.

Ela transmite, com frequência, mensagens que estimulam a violência, o consumismo, uma ética “indolor” de desvalorização do outro, que celebra a gratificação imediata de desejos e o culto do corpo perfeito, a superficialidade das relações, a naturalização da injustiça e a perda da cidadania. Pela penetração que tem, no entanto, pode ter papel fundamenta a construção da ética dos jovens, estimulando a crítica da realidade e transmitindo imagens e exemplos positivos para que isso aconteça.

Vamos refletir sobre o assunto com a provocação da Mafalda, famosa personagem de quadrinhos criada pelo argentino Quino:



OS JOVENS E A ÉTICA

Os jovens sabem o que é ética?

Claro que sim!

Embora a juventude seja um período de muitos desafios, inseguranças e escolhas, os jovens buscam a definição de conceitos e comportamentos éticos, cabendo à sociedade adulta ajuda-los.

Sugerimos aqui a leitura de uma bela matéria da Revista Carta Capital, que conclui dessa forma:

Os jovens do Brasil são éticos. Suas ações implicam em autonomia. Eles entendem o que têm de fazer. E escolhem fazê-lo. Optam pela ação. Escolhem a sua liberdade. Iniciam em seu interior uma revolução e, partindo da morada onde brilha a alma, começam a agir: fazem e acontecem. Essa juventude que os demais brasileiros desconhecem não está na mídia, mas em nosso bairro, em nossa cidade, em nossa rua, em nosso prédio, ao nosso lado no ônibus, nos bancos escolares. Se tivermos a sensibilidade necessária os reconheceremos.

E AS FAMÍLIAS?

O papel fundamental

Da mesma forma, a educação recebida da família tem papel fundamental na construção dos valores das crianças e dos jovens. O vídeo que escolhemos mostra bem o efeito do exemplo, do modelo apresentado pelos adultos. Vamos curti-lo?

A ÉTICA NO COTIDIANO

No cotidiano encontramos situações que nos colocam problemas morais. São problemas práticos e concretos da nossa vida em sociedade, que dizem respeito às nossas decisões, escolhas, ações e comportamentos e que exigem uma avaliação, julgamento, juízo de valor entre o que socialmente é considerado bom ou mau, justo ou injusto, certo ou errado, pela moral vigente.

Escolhemos três situações para você pensar e, se quiser, discutir com os colegas, com a família e os professores.

Em relação a cada uma pedimos que você reflita e responda: certo ou errado? Por que?

A cola

O que você pensa do comportamento de colar em avaliações ou elaboração de trabalhos escolares, ou usar trabalhos prontos, disponíveis na Internet, para entregar aos professores.

O bullying

O que você pensa da realização de atitudes agressivas, verbais ou físicas, intencionais e repetitivas, sem motivação evidente, causando dor e angústia, com o objetivo de intimidar ou agredir outra pessoa que não tem a possibilidade ou capacidade de se defender.

As formas de agressão são diversas: empurrões, pontapés, insultos, espalhar histórias humilhantes, mentiras para implicar a vítima a situações vexatórias, inventar apelidos que ferem a dignidade, captar e difundir imagens (inclusive pela internet), ameaças (enviar mensagens, por exemplo), exclusão e chantagem, por exemplo.

A venda do voto

O que você pensa do comportamento da pessoa que recebe dinheiro ou benefícios para votar em determinado candidato ou partido?

REFLEXÃO FINAL

Para pensar depois...

Para encerrar este tópico do nosso curso sugerimos um vídeo daqueles “para pensar depois”.

O vídeo se chama “A Ponte” e tem como tema a ética nas relações e situações cotidianas, que promove a gentileza e a compreensão mútua, tornando o mundo melhor e as pessoas mais felizes.